22 de jul de 2011

Empresa que doou verba para campanha de Malta cobra R$ 66 milhões para fazer seis quilômetros do Contorno

Foto: Reprodução TV Vitória

As obras na Rodovia do Contorno se arrastam durante os últimos dez anos. O curioso é que a empresa agraciada com o direito de executar a obra foi contratada após uma licitação, em que nenhuma das doze firmas interessadas compareceu no dia de abertura das propostas. Portanto, ocorreu o que se chama de “licitação deserta” e a empreiteira foi convidada a dar o lance. A quantia cobrada para fazer os últimos seis quilômetros para encerrar os trabalhos foi de R$ 66 milhões.
 
Mais curioso ainda é que esta mesma empreiteira doou R$ 30 mil para a campanha do senador Magno Malta. A licitação aconteceu no dia sete de dezembro do ano passado, meses após o resultado da eleição, que deu vitória ao republicano. O político é do PR, partido que comanda o Ministério dos Transportes e várias autarquias, como o Dnit, responsável pelas obras no Contorno.
 
A reforma chegou à fase final e só falta um trecho de apenas seis quilômetros. Porém, isso ainda vai custar mais um pouco aos cofres públicos. "É por isso que nós estamos nessa situação da segurança, com educação e saúde. As verbas são desviadas de onde têm que ir para fazer outras coisas" reclamou o representante comercial José de Britto.
 
Um levantamento realizado pela TV Vitória mostra que dos quase R$ 3 milhões arrecadados pelo senador para a campanha, quase R$ 1,7 milhão foram doações de empreiteiras. Isso representa mais de 60% do total. Diante das novas denúncias, realizadas pela revista Istoé, o senador Ricardo Ferraço promete propor uma CPI no senado para investigar possíveis irregularidades.
 
"Eu recebi esse números com perplexidade, como todos receberam. Uma obra absolutamente necessária, sabendo inclusive que houve contratação sem concorrência pública, porque é a concorrência pública que gera igualdade de oportunidade para que as empresas possam concorrer em igualdade de condições. Isso chamou a atenção e o senado federal terá que investigar todos os fatos.
 
O superintendente do Dnit, Ralpher Luigi, explicou que o projeto executivo daquele trecho da obra do Contorno prevê mais do que a duplicação na pista. Serão feitas estradas adicionais paralelas, parar acesso remoto aos bairros. No total, haverá oito pistas de rolamento. Além disso, o projeto prevê a construção de nove viadutos, calçadas e ciclovias.
Uma funcionária da Contractor Engenharia disse que o proprietário da empresa está no interior do Estado e que não seria possível entrar em contato com ele. Já a assessoria do senador Magno Malta informou que todas doaçõs para a campanha foram aprovadas pelo TRE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar

Ocorreu um erro neste gadget

De o Osso ao Cachorrinho