30 de abr de 2012

Prevenção é igual à Vida, Paz, Liberdade.

Por Jadir Almeida* 

Você sabia que as maiores vítimas da criminalidade hoje são jovens, em média, de 16 a 24 anos. Esse é o perfil dos que estão morrendo e, também, matando. Verifica - se nesse sentido que essa população são tanto vítimas quando agressores. Por isso, defendo a Segurança Primária cujo objetivo é a Prevenção à Violência e entendo que esse é o melhor caminho. Haja vista que a criminalidade começa na base, ou seja, ninguém nasce um criminoso, ele se torna no decorrer do tempo. Contudo, o Estado em sua omissão ou negligência é o principal culpado por isso. Vivemos a insegurança total, reféns, da inércia do Estado e quando cito Estado me refiro nas esferas Federal, Estadual e, Municipal. É isso que vejo no momento, é isso que os indicadores têm nos mostrado. Portanto, É preciso resgatar a paz que tanto clamamos, mas para isso é preciso que seja feito um trabalho constante com equipe técnica voltado para uma das maiores necessidade do Cidadão, a Segurança Pública.

É fato que, atualmente, nestas esferas, há uma cultura tradicional, conservadora e imediatista de combater apenas a conseqüência das delinqüências dos jovens e adolescentes. Cultura essa que precisa ser rompida. Sua forma de atuação, juntamente, ao desconhecimento da população suprime, na verdade, as reais causas do índice de criminalidade entre estes jovens e adolescentes, além das desigualdades e exclusão social, que os impede de gozar plenamente do direito à vida, à habitação, à liberdade, à saúde, à educação e à busca da felicidade. Consistem, também, na ausência de referenciais éticos e morais, na desestruturação familiar e na crise de valores, pois é mais do que sabido por todos que o maior causador desta problemática que dilacera a família brasileira é a ausência de políticas públicas. É nesse contexto que quero expor Vila Velha que há muito pede socorro, que há muito vem sofrendo e perdendo suas crianças, adolescentes, jovens, mães e pais. A violência está mais próxima de nós do que podemos imaginar, ela está em cada esquina de cada rua, de cada bairro, de cada município... Ceceando-nos dos maiores bens da humanidade: Vida, Paz, Liberdade.

“O caminho que eu escolhi é o do amor... Não importam as dores, as angústias... Nem as decepções que vou ter que encarar... Escolhi ser verdadeiro... No meu caminho, o abraço é apertado... O aperto de mão é sincero... Por isso, não estranhe a minha maneira de sorrir... De te desejar o bem... Eu sou aquela pessoa que acredita no bem... Que vive no bem e que anseia o bem... Por isso, não estranhe se eu te abraçar bem apertado... Se eu me emocionar com a sua história... Se eu chorar junto com você... Afinal de contas... Somos gente e gente que fez a opção pelo bem... É assim que eu enxergo a vida... E é só assim que eu acredito que valha a pena viver... Viver com emoção, com verdade e com amor”.  Jadir Almeida  

*Jadir Almeida é Servidor Público. Graduado em Segurança Privada e do cidadão (UVV). Pós-graduado em políticas pública e gestão em segurança pública (UFES). 

Pesquisar

Ocorreu um erro neste gadget

De o Osso ao Cachorrinho